Literatura

POETA FELIZ?

26 de junho de 2016

A um passarinho


Para que vieste
Na minha janela
Meter o nariz?
Se for por um verso
Não sou mais poeta
Ando tão feliz!
Se é para uma prosa
Não sou Anchieta
Nem venho de Assis.

Deixa te de histórias
Some-te daqui

(Vinicius de Moraes)
“Vinicius, foi o único que realmente viveu como poeta”. Não sou eu quem disse isso não, foi Drummond no dia do falecimento do poetinha camarada. Lendo o poema acima e pensando na frase dita por Drummond fico a pensar. Um poeta realmente só é grande se for triste, como disse Vinicius na canção Eu Não Existo Sem Você?

Essa reflexão sonda minha cabeça muitas vezes. Afinal é preciso ser triste para ser poeta? Pensemos então nas mais famosas poesias. É muita coincidência que na maioria delas a palavra angústia esteja tão presente? Dor, aflição, ausência. NÃO! Não é coincidência. 
Em Leminski temos problema, mágoa, remorso:

No fundo, no fundo,

bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto

a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela — silêncio perpétuo” (Trecho do poema Bem no Fundo, de Paulo Leminski)

Poderia listar inúmeros nomes. Drummond, Fernando Pessoa, Vinicius de Moraes, Mário Quintana. Esse último então, nem se fala. Todos sofreram quando escreveram seus tão deliciosos poemas de amor. 
“Um poeta sofre três vezes: primeiro quando ele os sente, depois quando ele os escreve e, por último, quando declamam os seus versos.” (Mário Quintana)
O Poetinha inclusive, escreveu seus melhores poemas sofrendo, tomando um porre de uísque dentro de sua banheira. Lugar onde Toquinho esteve também com ele. E o último lugar que Vininha esteve. Foi lá que ele faleceu. 
Não é uma regra, caro leitor, mas os melhores poemas são os que falam de amor. Isso acontece porque o poeta está sofrendo e uma pessoa que sofre quer botar para fora, quer desabafar. 
Eu já me meti a poetiza, mas parei, hoje sou feliz! Felicíssima ao lado do meu amor. Minhas poesias são de alegria. Sim, é possível viver poesia na vida real. Hoje sou poeta feliz!
Katiuscia Mizokami

*Estamos com o blog também no Portal Bonde. Faça-me uma visita: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-31-67

Katiuscia Mizokami
A autora deste texto é jornalista. Extremamente sensível. Viciada em café. Amante de poesia e, às vezes, da seus palpites fashionistas. Atualmente este blog também está hospedado no Portal Bonde. Sentem-se e fiquem à vontade.
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *