Devaneios

Precisamos muito conversar sobre transtornos de ansiedade e depressão

21 de julho de 2017

Os últimos acontecimentos me fizeram ter coragem de escrever este texto. Ontem (20/07/17) o vocalista do Linkin Park, Chester Bennington, foi encontrado morto em casa, após cometer suicídio. A notícia chocou muita gente, fã do cantor. Eu não era fã dele, mas sempre curti muito a banda. Porém, o fato do suicídio me deixou com o coração meio apertado, sabe? Ontem o PC Siqueira divulgou um vídeo no Youtube, que resume muito bem esse nó na garganta que estou sentindo.

Precisamos falar de depressão e Transtorno de Ansiedade! Não podemos deixar que mais gente morra para uma doença (sim uma DOENÇA) tão triste assim. O que mais me preocupa, na realidade, é que algumas pessoas ainda insistem em achar que é simplesmente “frescura”. Não é frescura você passar o dia com o coração batendo forte, ficar com a respiração ofegante e a cabeça cheia de medos que você não sabe porque existem!

Se você conhece alguém que sofre de depressão ou transtorno de ansiedade, fique atento! Algumas pessoas não conseguem simplesmente levantar da cama, falar com os amigos ou até mesmo responder uma mensagem pelo WhatsApp. Elas deixam de fazer coisas banais como comer, tomar banho e interagir com as pessoas da própria casa. Outras, como não podem parar tudo que fazem para ficar trancadas no quarto, apresentam outros sinais e você pode ajudar, ficando sempre ao lado dessa pessoa e ouvindo-a. Muitas vezes, a pessoa sofre calada, por isso é tão importante perceber se algo mudou na rotina dela. Assim como disse o PC, “geralmente acontece quando a gente menos imagina. Porque quando você imagina que uma pessoa vai fazer isso, existe um tipo de intervenção”.

Algumas pessoas pensam que suicídio é egoísmo. Mas, você já parou para pensar que o egoísta pode ter sido alguém que não deu a devida atenção para aquela pessoa no momento em que ela mais precisava? Geralmente, a pessoa se sente tão sozinha e tem tanto medo de tudo que o medo da morte torna-se menor.

O que você precisa fazer? Tenho algumas dicas, retiradas do vídeo do PC:

  1. Não subestime o sofrimento alheio;
  2. Não brinque como sentimento das pessoas;
  3. Se você não puder ajudar uma pessoa, não atrapalhe;
  4. Não seja mau com as pessoas que não estão fazendo nada com você;
  5. Não explore os traumas que as pessoas têm;
  6. Tenha empatia e se coloque no lugar do outro;
  7. Não seja insensível!
  8. Seja legal e carinhoso com as pessoas.

 

Veja alguns vídeos sobre o assunto, que o PC já fez:

A autora deste texto é jornalista. Extremamente sensível. Viciada em café. Amante de poesia e, às vezes, da seus palpites fashionistas. Atualmente este blog também está hospedado no Portal Bonde. Sentem-se e fiquem à vontade.
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *